EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Jubileu da Misericórdia: Vaticano expõe relíquias de Padre Pio e São Leopoldo Mandic

Jubileu da Misericórdia: Vaticano expõe relíquias de Padre Pio e São Leopoldo Mandic
Direitos de autor 
De  Dulce Dias com agenciaecclesia.pt, Vaticano TV
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

As relíquias dos dois santos podem ser veneradas, na Basílica de São Pedro, até à próxima quinta-feira

PUBLICIDADE

Na vida como na morte, o Padre Pio move e comove multidões. Mais de 70.000 peregrinos deslocaram-se ao Vaticano para venerar a relíquia do religioso italiano, exposta pela primeira vez na Basílica de São Pedro.

A exposição do corpo embalsamado do santo é considerado um dos atos mais importantes do Jubileu Extraordinário da Misericórdia, que termina em novembro.

#Vistazo Las reliquias del Padre Pío ya están expuestas en el Vaticano https://t.co/a5bbWrDptipic.twitter.com/LKse1xKJc1

— PanamáAmérica (@PanamaAmerica) 7 Février 2016

Figura hoje polémica, o sacerdote capuchinho ficara conhecido pelas suas estigmas, que, quase 40 anos após a sua morte, um investigador concluiu serem causadas pelo próprio. O Vaticano, que já o santificara, refutou tal conclusão.

Tanto São Pio de Pietrelcina (1887–1968), o ‘padre Pio’, como o croata São Leopoldo Mandic (1866–1942) são apresentados pelo Papa Francisco como “exemplos” para os “Missionários da Misericórdia” – isto é, os mais de 1000 sacerdotes de vários países, incluindo Portugal, que ao longo do Jubileu vão “levar o sacramento da Penitência a todos os lugares”.

As relíquias dos dois santos podem ser veneradas, no Vaticano, até à próxima quinta-feira.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Corpos do padre Pio e de São Leopoldo Mandic já estão no Vaticano

Papa Francisco condena "ataque terrorista vil" em Moscovo

Mulheres que dizem ter sido abusadas por um jesuíta outrora famoso exigem transparência ao Vaticano