EventsEventosPodcast
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Assad aperta cerco em torno de Alepo

Assad aperta cerco em torno de Alepo
Direitos de autor 
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O cerco começa a apertar em torno de Alepo, cidade de grande importância estratégica que tem estado nas mãos dos rebeldes desde o início do conflito sírio

PUBLICIDADE

O cerco começa a apertar em torno de Alepo. Praticamente desde o início da guerra civil que esta cidade de grande importância estratégica tem estado nas mãos dos rebeldes.
Mas, com o apoio aéreo da Rússia, o exército de Assad tem sido mais eficaz na luta contra os rebeldes. O antigo centro industrial e económico da Síria, o tesouro arquitetónico, treme agora ao impacto de barris bomba e de bombas de fragmentação.

Os curdos aproveitam a retirada dos rebeldes para passar à ofensiva no norte de Alepo, como em Menagh e na sua base aérea. Por outro lado, são bombardeados pelos turcos, mas contam com o apoio da Rússia.

Os quatros principais protagonistas da guerra civil síria que lutam por Alepo são: os rebeldes, o exército sírio, os curdos e o autoproclamado Estado Islâmico. Cada um tem os seus próprios interesses e objetivos.
Damasco quer a cidade cercada e que o fornecimento proveniente da Turquia seja cortado. Para os rebeldes trata-se de manter essa via de fornecimento aberta. Os curdos pretendem ligar três zonas que controlam. E os radicais islamitas querem atrair os desertores para a causa deles.

A ameaça militar já fez sair da cidade dezenas de milhares de pessoas. E, se os combates se agravarem, mais milhares estão prontas para sair, aumentando a pressão sobre as instalações já saturadas de refugiados na Turquia.
O rasto de destruição que, aqui vemos, em Alepo mostram a crueza da guerra. Para este antigo guia turístico é difícil aceitar: “Estou realmente chocado. Há cinco anos que não conseguia vir a Alepo e vejam em que estado está”, diz Muhamed Al-Kousi.

Nas mãos do autoproclamado Estado Islâmico desde 2014, o exército de Assad conseguiu finalmente recuperar a central elétrica da cidade. Com esta ofensiva, Assad espera que os rebeldes sejam expulsos da cidade.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Pelo menos três mortos, entre os quais duas crianças, na explosão de carro armadilhado na Síria

Duas crianças entre os seis mortos após bombardeamentos de Assad em Idlib

Síria: Confrontos em Deir Ezzor deixaram mais de 150 mortos e dezenas de feridos