Última hora
This content is not available in your region

Comissão Europeia dá novos passos para reforçar transparência fiscal

Comissão Europeia dá novos passos para reforçar transparência fiscal
Tamanho do texto Aa Aa

A Comissão Europeia apresenta, esta terça-feira, uma proposta com novas regras sobre a forma como as multinacionais reportam as atividades relacionadas com negócios no bloco comunitário.

Nesta linha, o comissário com a pasta da Estabilidade Financeira, Serviços Financeiros e Mercado de Capitais, Jonathan Hill, deverá anunciar, em Estrasburgo, que as empresas com operações e lucros de mais de 750 milhões de euros na União Europeia passarão a ter de divulgar informações fiscais detalhadas não só às autoridades tributárias.

As multinacionais com filiais em paraísos fiscais deverão publicar as informações fiscais país por país.

O comissário responsável pelos Assuntos Económicos e Financeiros, Pierre Moscovici, levantava assim o véu sobre esta matéria na semana passada, quando se mostrou “chocado” com o escândalo dos “Panama Papers”: “Se a transparência não é automática, se suspeitamos que existe qualquer coisa oculta, então as coisas far-se-ão de outra forma, com outro estado de espírito. Prefiro a transparência que se verifica porque todos têm regras a partilhar, porque todos colocam coisas sobre a mesa, a uma transparência que surge a posteriori, com a possibilidade de se ser denunciado.”

Moscovici defendeu a criação de uma lista pan-europeia de jurisdições não cooperantes em matéria fiscal no prazo de seis meses e a imposição de sanções.

Enquanto isso, as reações de repúdio pelo envolvimento de figuras políticas no escândalo conhecido como “Panama Papers” multiplicam-se.

A proposta de diretiva da Comissão Europeia ainda terá de ser aprovada pelo Parlamento e pelo Conselho Europeu.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.