FMI apela a mais investimento público e prudência orçamental

FMI apela a mais investimento público e prudência orçamental
De  Nelson Pereira
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Mais investimento público e prudência. O Fundo Monetário Internacional (FMI) apelou este sábado em Washington a uma política orçamental favoráveis ao

PUBLICIDADE

Mais investimento público e prudência. O Fundo Monetário Internacional (FMI) apelou este sábado em Washington a uma política orçamental favoráveis ao crescimento, em todos os países.

Admitindo que a crise dos refugiados é um fardo para certas economias, a diretora geral do FMI acredita que uma integração bem conduzida pode vir a impulsionar o cresimento. Uma perspetiva partilhada pela vicepresidente da Comissão Europeia, Kristalina Georgieva:

“De acordo com a avaliação que fizemos na Comissão, parece-nos que, ao longo deste ano e do próximo, é provável um aumento do PIB na ordem de 0,2% – 0,3%, com o crescimento na Europa a rondar os 2%, o que não é negligenciável”, Georgieva.

Werner Hoyer, presidente do Banco Europeu de Investimento, o instrumento financeiro da União Europeia, alerta para novos riscos: a saída da Inglaterra da União Europeia, a baixa dos preços do petróleo e das matérias-primas …e os refugiados.

“As alterações climáticas em curso irão gerar mais fluxos de refugiados, ou pelo menos migrantes. Nem toda a gente tem consciência disto e por esta razão uma conferência como esta obriga a abrir os olhos”, disse Hoyer, acrescentando que “A cooperação entre instituições bancárias multilaterais e as Nações Unidas foi consideravelmente intensificada”.

Outra das preocupações presentes na reunião de Primavera do FMI foi a reconstrução da Síria, que o Banco Mundial calcula em 150 mil milhões de euros.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Uma primavera de desafios para a reunião do FMI-Banco Mundial

Fundo Monetário Internacional dá luz verde à transferência de 900 milhões para a Ucrânia

Ataque russo a Kiev faz pelo menos meia centena de feridos