Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

Lux Leaks: Começa o julgamento de jornalista e dois antigos funcionários da PwC

Lux Leaks: Começa o julgamento de jornalista e dois antigos funcionários da PwC
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Um jornalista francês e dois antigos funcionários da PricewaterhouseCoopers, começam esta terça-feira a ser julgados no âmbito do caso “Lux Leaks”.

Os informadores desempenham um papel crucial na denúncia da corrupção e abuso de poder, em todo o mundo.

O antigo auditor da PwC, Antoine Deltour, outro antigo funcionário da PwC e o jornalista francês Edouard Perrin, serão, hoje, presentes a um juiz no Luxemburgo.

Para a organização Transparência Internacional, que luta contra a corrupção, no mundo,

“Os informadores desempenham um papel crucial na denúncia da corrupção e abuso de poder, em todo o mundo.”

Para o diretor europeu desta ONG, Carl Dolan, “o que Deltour fez é, claramente, do interesse público, expondo os acordos secretos sobre impostos que o governo do Luxemburgo fez com grandes multinacionais”.

Caso sejam condenados, podem incorrer em penas máximas de 5 anos de prisão e multas que podem ascender a 1,25 milhões de euros.

O “Lux Leaks” foi revelado em novembro de 2014 por 40 meios de comunicação internacionais, apoiados em documentos obtidos pelo Consórcio Internacional de Jornalistas de Investigação.

A investigação revelou acordos secretos que cerca de 300 empresas fizeram com o Governo luxemburguês para fugir aos impostos em outros países, entre 2002 e 2010.

Jean-Claude Juncker, o atual presidente da Comissão Europeia, foi primeiro-ministro do Luxemburgo entre 1995 e 2013.

Em 2015, o Parlamento Europeu criou uma comissão especial à evasão fiscal na União Europeia, que vai investigar a cumplicidade dos Estados-membros com grandes multinacionais para ajudá-las a fugir aos impostos em outros países.