EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Venezuelanos protestam na rua por falta de comida

Venezuelanos protestam na rua por falta de comida
Direitos de autor 
De  Luis Guita
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Uma multidão de manifestantes concentrou-se junto ao Palácio Presidencial venezuelano, na quinta-feira, num protesto contra o governo de Nicolas…

PUBLICIDADE

Uma multidão de manifestantes concentrou-se junto ao Palácio Presidencial venezuelano, na quinta-feira, num protesto contra o governo de Nicolas Maduro.

No centro de Caracas os manifestantes gritaram “queremos comida”

“Hoje de manhã um guarda agrediu-me, bateu-me no peito. Olhe como estou. Mas não importa, a força está na unidade. Vamos continuar a avançar porque os venezuelanos estão cansados de tanta humilhação. Nós vamos continuar em frente,” afirmou a manifestante Dayalin Chirinos.

A polícia carregou sobre os manifestantes e usou gás lacrimogéneo para os afastar do palácio Miraflores, no centro de Caracas.

Apesar de o país ter as maiores reservas de petróleo do mundo, os venezuelanos sofrem uma escassez de bens de consumo, enquanto têm de lidar com a maior inflação a nível mundial e uma economia em recessão.

Também esta quinta-feira, as autoridades eleitorais venezuelanas cancelaram uma reunião crucial que poderia abrir caminho a um referendo para afastar o presidente Nicolas Maduro.

A reunião entre os representantes da Mesa de Unidade Democrática (MUD), maioria de coligação de centro-direita no Parlamento, e o Conselho Nacional Eleitoral (CNE) foi cancelada 5 minutos antes do compromisso e adiada por tempo indeterminado.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Forças de segurança realizam operações na capital da Nova Caledónia para controlar onda de violência

Presidente da Geórgia garante em entrevista à Euronews que vai vetar lei dos "agentes estrangeiros"

Nemo quebrou o código: Concorrente da Suíça é primeira pessoa não-binária a vencer a Eurovisão