Última hora
This content is not available in your region

Juno já está na órbita de Jupiter

Juno já está na órbita de Jupiter
Tamanho do texto Aa Aa

Bem vindo a Jupiter! O sinal enviado pela sonda Juno da Nasa, 48 minutos mais cedo, é recebido na terça-feira às 3h53 GMT, no centro da agência americana, em Pasadena. Juno conseguir pôr-se em órbita à volta de Jupiter

Surgiram as primeiras imagens captadas pela câmara da nave durante 17 dias na viagem em direção ao gigantesco planeta gasoso. A missão consiste em desvendar os enigmas do planeta e da origem do sistema Solar.

“Há múltiplas luas, as luas de Galileu giram em torno de Jupiter e cada uma gira a uma velocidade diferente, conforme a sua distância em relação ao planeta. Isto é uma representação da natureza. É o que nós somos, é um mini sistema Solar”, explica Scott Bolton, o investigador responsável pela missão.

Segunda missão de exploração de Jupiter e da NASA, após a sonda Galileu, Juno partiu do planeta Terra há cinco anos.
Depois de um périplo de 2,7 mil milhões de km, a nave de 3,6 toneladas, alimentada a energia solar, inseriu-se numa órbita polar de 53 dias e meio.

A partir de outubro de 2016, a Juno passará para uma órbita de 14 dias, próxima das nuvens e na zona das radiações.
Ali vai cartografar os campos gravitacionais e magnéticos de Jupiter de forma a determinar a sua estrutura interna.

O enviado da Euronews, Jeremy Wilks, testemunha o entusiasmo das equipas da NASA: “Os cientistas estão muito entusiasmados com a missão Juno por causa da órbita. A nave vai voar abaixo e muito próximo deste gigante gasoso e isto vai ajudar a perceber o que se passa lá dentro. Por enquanto, não sabemos. Será que tem uma formação rochosa ou é tudo gás?. Se conseguirmos perceber o que se passa em Jupiter, podemos entender o nosso sistema solar, porque este planeta formou-se apenas três ou quatro milhões de anos após o Sol, por isso é um dos objetos mais antigos do sistema solar”.

O destino da Juno é mergulhar na atmosfera de Jupiter e desaparecer, ao fim de 20 meses e durante a última órbita. O sacrifício último por desvendar os segredos do gigante.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.