Comissão Europeia quer acordo com Canadá assinado em outubro

Comissão Europeia quer acordo com Canadá assinado em outubro
De  Nara Madeira
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

A Comissão Europeia concluiu as negociações para o acordo comercial e económico com o Canadá (CETA), que propõe como acordo misto, e pede à União Europeia a…

PUBLICIDADE

A Comissão Europeia concluiu as negociações para o acordo comercial e económico com o Canadá (CETA), que propõe como acordo misto, e pede à União Europeia a ratificação. O objetivo é que o tratado seja assinado em outubro, durante a cimeira UE-Canadá:

“Pedimos agora aos Estados-membros, que pediram este acordo, que o acolheram positivamente, para o defenderem nos seus parlamentos e perante os seus cidadãos, porque este é um acordo muito bom”, afirmou a Comissária europeia do Comércio, Cecilia Malmstrom.

.EU_Commission</a> proposes signature&conclusion of EU-Canada trade deal <a href="https://twitter.com/hashtag/CETA?src=hash">#CETA</a> - press release: <a href="https://t.co/Q6AVzFljLv">https://t.co/Q6AVzFljLv</a><a href="https://t.co/SAmqclxddV">https://t.co/SAmqclxddV</a></p>&mdash; European Commission (EU_Commission) 5 de julho de 2016

O Primeiro-ministro canadiano mostrou-se, esta terça-feira, otimista em relação a uma ratificação rápida do tratado.

Um acordo polémico e que já levou a várias manfestações em diversas cidades europeias. Mesmo em Portugal há quem não acredite nos benefícios deste acordo, e de outros do género, para os europeus.

Para a Comissão Europeia o acordo vai, e entre outras coisas, facilitar o acesso de empresas exportadoras da UE ao mercado canadiano.

All you need to know abt our proposal for signature&conclusion of EU-Canada trade deal #CETAhttps://t.co/gPZLjuRNnDpic.twitter.com/mZXef5nXEN

— European Commission (@EU_Commission) 5 de julho de 2016

Jean-Claude Juncker sobre o acordo:

_«O acordo comercial entre a UE e o Canadá é o melhor e mais avançado dos nossos acordos comerciais e pretendo que entre em vigor o mais depressa possível. Abre novas oportunidades às empresas da Europa e, em simultâneo, promove as nossas normas elevadas em prol dos nossos cidadãos. Tive oportunidade de examinar os
argumentos jurídicos e ouvir os Chefes de Estado e de Governo e os Parlamentos nacionais. Há agora que passar à ação. Está em causa a credibilidade da política comercial da Europa.»_

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Novas sanções contra Moscovo na sequência da morte de Alexei Navalny

União Europeia e Canadá criam Aliança Verde

Síria começou a ser julgada à revelia por tortura no Tribunal de Justiça Internacional