Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

Turquia: Líder de partido pró-curdo lança suspeita de envolvimento estatal em atentado

Turquia: Líder de partido pró-curdo lança suspeita de envolvimento estatal em atentado
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Selahatin Demirtas, colíder do Partido Democrático do Povo, o pró-curdo HDP, lançou no domingo algumas suspeitas sobre um eventual envolvimento estatal no atentado terrorista de sábado à noite em Gaziantep, no sul do país. Um bombista suicida com cerca de 13 anos terá provocado a morte de mais de 50 pessoas, incluindo crianças e um bebé de 3 meses, numa festa de casamento.

“Se o primeiro-ministro é de facto parte de uma organização democrática, ele tem de purgar estas pessoas (referindo-se aos terroristas). Se uma criança em Gaziantep se faz explodir, esta não pode ser uma decisão da própria criança. Isto não é algo que uma criança seja capaz. Elas não podem fazer isto sem o apoio de uma organização estatal ou um serviço de inteligência”, atirou Demirtas, num discurso perante uma plateia em Gaziantep, onde visitou familiares de algumas das vitimas do ataque.

O colíder do HDP, que cancelou uma deslocação oficial à África do Sul por causa deste atentado, deixou ainda um recado ao executivo às ordens do Presidente Recep Tayyp Erdogan: “Enquanto governo, se não trabalharem para resolver isto, eles vão bombardear o parlamento. Eles vão bombardear a capital com aviões de guerra.”

Manifestação em Istambul

Em Istambul, no norte do país, centenas de pessoas manifestaram-se, entretanto, contra o atentado de sábado em Gaziantep. Alguns dos manifestantes apontam o dedo ao governo pela falta de segurança.

“Estes terroristas são sem dúvida os mesmos que atacaram Suruç e Ancara. São os mesmos que estão a bombardear cidades curdas há mais de um ano. O resultado destes ataques é a perceção com que ficamos de que a única forma de nos prevenirmos é através da paz social”, defendeu Ridvan Ozturk, um dos manifestantes.

(Departamento do Estado norte-americano: “Os Estados Unidos condenam o ataque terrorista em Gaziantep, na Turquia.
Estendemos as nossas condolências às famílias das vitimas.)
(Presidente da Rússia: Condolências ao Presidente da Turquia na sequência do attaque terrorista em Gaziantep.)

Autoridades acusam “jihadistas”

O “Daesh”, o grupo “jihadista” autoproclamado Estado Islâmico, que opera na Síria e no Iraque, é apontado como responsável pelo ataque em Gaziantep, embora nenhuma organização o tenha ainda reivindicado. O presidente turco confirmou que “as suspeitas da polícia e do gabinete do Governador (de Gaziantep) apontam para um ataque do ‘Daesh’”. “Sabemos que este grupo terrorista tem vindo a tentar ganhar terreno em Gaziantep”, acrescentou Erdogan.

O ataque visou o casamento de um membro do HDP. Pelo menos 51 mortos estão já confirmados, mas o balanço pode agravar-se. Há pelo menos 60 feridos e, destes, 17 estarão ainda em estado grave, revelou o chefe de Estado da Turquia. O funeral de algumas das vitimas decorreu este domingo.

Presumível bombista suicida adolescente detido

Um rapaz foi detido domingo à noite em Kirkuk, na região curda do Iraque, sob suspeita de estar a preparar-se para espoletar um cinto de explosivos que usava, noticia a Rudaw, uma rede noticiosa curda, citada nas redes sociais por Kenneth Roth, diretor executivo da ONG Human Rights Watch. O adolescente, com 12 ou 13 anos, é suspeito de ser um bombista suicida às ordens do “Daesh.”

A detenção aconteceu depois de dois ataques suicidas terem ocorrido em Kirkuk. Um diante de um altar xiita no bairro de Wasit, feriu 3 pessoas; e outro na mesma zona, sem causar vitimas.