Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

Obama desafia Pequim a respeitar decisão da justiça

Obama desafia Pequim a respeitar decisão da justiça
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

O Presidente norte-americano diz que Pequim deve respeitar a decisão da justiça internacional no processo do mar do Sul da China.

As palavras de Barack Obama agitaram a Cimeira da Associação das Nações do Sudeste Asiático, em Laos. Isto depois de em julho, o Tribunal Permanente de Arbitragem, com sede em Haia, ter determinado que as reivindicações marítimas de Pequim não têm base legal

O Presidente dos Estados Unidos defende que a Associação das Nações do Sudeste Asiático é essencial para o equilíbrio das relações, para a paz e para a prosperidade mundial. Obama promete continuar a trabalhar para que o diferendo em relação às ilhas no mar do Sul da China se resolva de forma pacífica. Acrescentando, que a decisão da justiça internacional ajudou a clarificar os direitos marítimos na região.

Pequim defende que Tribunal Permanente de Arbitragem não tem competência para se pronunciar sobre o caso.

A China não está disposta a abrir mão das águas ricas em recursos naturais e por onde passa um terço do comércio marítimo mundial e reforçou, por isso, a presença militar.

A decisão da justiça internacional é vinculativa, mas o Tribunal de Haia não tem poderes para a aplicar.

Pequim reivindica a soberania de praticamente todo o mar do Sul da China com base numa linha que surge nos mapas chineses desde 1940.