Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

Síria: EUA e Rússia elaboram plano conjunto para um cessar-fogo

Síria: EUA e Rússia elaboram plano conjunto para um cessar-fogo
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Os Estados Unidos da América e a Rússia chegaram a um acordo para um cessar-fogo na Síria, que deve iniciar-se já na próxima segunda-feira.

Vamos coordenar os ataques conjuntos contra os terroristas.

Serguei Lavrov Ministro dos Negócios Estrangeiros da Rússia

O plano conjunto prevê a suspensão de todas as operações de combate, incluindo os bombardeamentos aéreos contra os jihadistas e a ajuda à população síria.

O anúncio foi feito em Genebra, na Suíça, pelos chefes da diplomacia russa e norte-americana.

“Se o plano for executado de boa-fé, se as partes interessadas fizerem as coisas que estão ao seu alcance, e que se lhes pede que façam, este pode ser um momento em que os esforços multilaterais na mesa diplomática, nas negociações, podem, de facto, assegurar a transição ao povo Sírio”, declarou o secretário de Estado dos EUA, John Kerry.

Já o ministro russo dos Negócios Estrangeiros, Serguei Lavrov, informou que “estamos a criar um centro partilhado de operações, onde militares e forças especiais da Rússia e dos Estados Unidos irão tratar questões práticas como separar os terroristas e a oposição moderada. Vamos, ainda, coordenar os ataques conjuntos das forças aéreas russas e norte-americana, contra os terroristas”.

Antes da conferência de imprensa, e enquanto decorriam as negociações, o ministro russo dos Negócios Estrangeiros, Serguei Lavrov, num ato de boa disposição, visitou a sala de imprensa e ofereceu aos jornalistas piza e vodca.

Na conferência, John Kerry referiu que o plano é uma oportunidade para colocar fim ao conflito sírio que desde o início, em 2011, provocou mais de 290 mil mortos e milhões de deslocados.