EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

Hungria: Jornal encerrado volta a ser publicado na revista dos sem-abrigo

Hungria: Jornal encerrado volta a ser publicado na revista dos sem-abrigo
Direitos de autor 
De  Euronews com reuters, euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Os jornalistas do Népszabadság decidiram publicar os seus trabalhos na revista que é vendida por sem-abrigo e também por pensionistas com reformas modestas.

PUBLICIDADE

Nas ruas de Budapeste volta a ecoar o nome do jornal de esquerda cuja suspensão da publicação, este mês, está a dar azo a uma enorme polémica sobre a liberdade de imprensa na Hungria.

Os jornalistas do Népszabadság decidiram publicar os seus trabalhos na revista que é vendida por sem-abrigo e também por pensionistas com reformas modestas.

Um desses reformados refere que, na última semana, “desde que a rádio e a televisão começaram a falar da publicação, toda a gente pede a revista. Houve mesmo quem pensasse que não a queria dar. É claro que quero. Tenho aqui 200 revistas e penso que vou vender todas hoje”.

E, de facto, os 12 mil exemplares da revista dos sem-abrigo, a Fedél Nélkül, esgotaram esta quinta-feira e está já prevista uma segunda edição para a próxima semana.

Desde o encerramento do Népszabadság, os jornalistas têm publicado as peças numa página no Facebook. O chefe de redação, András Murányi, garante que “pelo menos até a situação dos funcionários estar resolvida, a equipa vai continuar unida” e só depois disso é que se pensará “em outros passos a dar”.

A Mediaworks, proprietária do jornal, suspendeu a publicação no dia 8 de outubro, alegando dificuldades financeiras. Mas, muitos húngaros consideram que o encerramento se ficou a dever à posição crítica do diário em relação ao governo de Viktor Órban.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Televisão pública húngara emite debate político pela primeira vez em 18 anos

Na Hungria, uma nova oposição liderada por Péter Magyar desafia Viktor Orbán

Opositor de Orbán mobiliza milhares em manifestação anti-governo