EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

"Penso que é inédito ambos os candidatos presidenciais estarem na mesma cidade na noite da eleição", Stefan Grobe, Euronews

"Penso que é inédito ambos os candidatos presidenciais estarem na mesma cidade na noite da eleição", Stefan Grobe, Euronews
Direitos de autor 
De  Euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

A telenovela das presidenciais nos EUA está a chegar ao fim.

PUBLICIDADE

A telenovela das presidenciais nos EUA está a chegar ao fim. Um momento fundamental para os candidatos tentarem convencer os indecisos que têm até terça-feira para decidir o seu voto.

Stefan Grobe junta-se a nós a partir de Washington para nos trazer as novidades sobre a campanha.

Stefan, já não há muitas sondagens de opinião mas o que nos dizem as mais recentes?

Stefan Grobe:

Nos últimos dias desta campanha eleitoral, a votação pública tem seguido uma narrativa bastante consistente, ou seja, Hillary Clinton está à frente de Donald Trump, a nível nacional e na maioria dos estados-chave, mas por uma margem mais curta do que no mês passado.

Tendo isto em consideração, a vitória está garantida? Não. As últimas sondagens confirmam as flutuações no povo americano? Provavelmente sim. Estamos, provavelmente, mais perto da eleição entre Bush e Gore, em 2004, do que das vitórias de Barack Obama e Bill Clinton.

Agora, há um, “zum zum”, entre os observadores de campanha profissionais, de que Hillary Clinton vai ganha o Nevada, a Carolina do Norte, a Virgínia e a Pensilvânia, todos os estados onde ela parece ter uma liderança consistente. Se isso acontecer, Trump pode ganhar a Florida, Ohio, Wisconsin, Iowa, Colorado e New Hampshire e ainda assim perder a eleição. Por isso, a noite das eleições poderá ser bastante aborrecida.

Euronews:

A esposa de Donald Trump, Melania, discursou, no final da campanha, na Pensilvânia, o que é raro acontecer. Qual é o significado deste estado.

Stefan Grobe:

Há décadas que a Pensilvânia tem sido crucial para os democratas e tem sido uma espécie de ilusão para os republicanos que acreditam sempre que podem ganhar aqui, por causa do voto rural, mas a última vez que o conseguiram foi em 1988. Por isso Trump precisa muito da Pensilvânia.

Melania Trump deslocou-se a um condado, fora de Filadélfia, onde Mitt Romney ganhou, para reforçar o apoio entre as mulheres brancas, que estudaram e vivem nos subúrbios. Esse é um grupo que, para já, favorece Clinton, por isso se Trump conseguir conter as perdas nos subúrbios de Filadélfia e se os afro-americanos não votarem em massa, Trump acredita ter sérias hipóteses de ganhar.

Euronews:

A campanha tem sido muito centrada nos ataques pessoais e na retórica venenosa mais do que no debate informativo. Devemos preocupar-nos com o facto deste bate-boca poder tornar-se mais feio quando saírem os resultados?

Stefan Grobe:

Esse é o grande receio de muitos americanos e o Departamento de Justiça anunciou que enviará monitores para cinco condados na Carolina do Norte, esse é um sinal claro de que estão preocupados.

Já assistimos a alguma violência no Mississípi, esta semana, onde uma igreja foi queimada e onde foi feito um graffiti apelando ao voto em Trump. Isso é muito preocupante, é claro.

FYI: Rash of black-church burnings during the 1996 election too. Not one turned out to be a hate crime.https://t.co/oKl3HwQ8kp#FalseFlag

— Deplorable Pat (@Pissed_Pat) 2 de novembro de 2016

Também ouvimos falar de grupos neonazis e de várias fações do Ku Klux Klan, que anunciaram que iriam dar assistência a assembleias de voto em cidades como Richmond, Filadélfia, Detroit ou que tentariam levar os afro-americanos a ficarem em casa no dia das eleições dando-lhes álcool ou marijuana. Esta situação tem o potencial de gerar conflitos sérios de todos os tipos, especialmente, quando os resultados estiverem para sair.

PUBLICIDADE

Euronews:

Tanto Clinton como Trump estarão em Nova Iorque na noite eleitoral. Mas Trump não estará na Trump Tower. É uma surpresa, dado que a Trump Tower é uma espécie de jóia da coroa Trump.

Stefan Grobe:

Penso que é inédito ambos os candidatos presidenciais estarem na mesma cidade na noite da eleição. Por que não a Trump Tower? Penso que estão a tentar distanciar a marca da campanha e de uma potencial derrota. Foi por isso que mudaram a festa para o hotel Hilton, em Midtown Manhattan, um local surpreendentemente pequeno. Já Clinton escolheu o Centro de Convenções Jacob Javits que fica perto do hotel Hilton. É um local muito maior e tem, curiosamente, um telhado de vidro. Se Hillary Clinton for eleita é um momento muito importante até porque o país terá a primeira mulher presidente,significará quebrar barreiras, como este frágil teto de vidro.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Robert de Niro chama "palhaço" a Donald Trump à porta do tribunal

Biden apela à libertação de jornalistas no jantar dos correspondentes de imprensa

Mike Pence: "A maioria dos norte-americanos acredita no nosso papel de líderes do mundo livre"