EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Com Trump, EUA podem tornar-se "aliados naturais" da Síria

Com Trump, EUA podem tornar-se "aliados naturais" da Síria
Direitos de autor 
De  Rodrigo Barbosa
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

A Síria poderá tornar-se num “aliado natural” dos Estados Unidos: uma declaração surpreendente do próprio presidente sírio, numa entrevista à televisão portuguesa…

PUBLICIDADE

A Síria poderá tornar-se num “aliado natural” dos Estados Unidos: uma declaração surpreendente do próprio presidente sírio, numa entrevista à televisão portuguesa RTP.

Bashar al-Assad reagia à vitória de Donald Trump nas presidenciais norte-americanas, considerando “prometedora” a declaração do magnata de que está disposto a colaborar com a Rússia e a Síria na luta contra os extremistas do Estado Islâmico.

Mas Assad frisou que é preciso esperar para ver, já que “há dúvidas sobre se pode ou não cumprir as promessas. É preciso cautela, sobretudo porque nunca ocupou um cargo político antes. Mas se quer combater o terrorismo, será um aliado natural, à semelhança da Rússia, do Irão e de muitos outros países que pretendem derrotar os terroristas”.

Sob a administração de Barack Obama, os Estados Unidos, tal como a maioria dos países europeus, apoiam a oposição síria, enquanto Moscovo e Teerão estão do lado de Assad. O presidente sírio aproveitou a entrevista para defender e felicitar a intervenção russa:

“Os russos baseiam sempre as suas políticas nos valores, como os valores da soberania dos outros países, da lei internacional, do respeito pelos outros povos e culturas, por isso não interferem em nada do que diz respeito ao futuro da Síria e do povo sírio.”

A assistência da aviação russa tem permitido a Assad manter-se no poder e reconquistar terreno na Síria e o Kremlin já anunciou uma “nova ofensiva” para expulsar os rebeldes da segunda cidade do país, Alepo.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Rússia desmente autoria de novos bombardeamentos em Alepo

Será que a escolha de JD Vance é sinónimo de problemas para a Europa?

Biden reafirma que ainda está na corrida para as presidenciais