Última hora

Conferência de Segurança de Munique: Israel acusa Irão de promover instabilidade no Médio Oriente

Conferência de Segurança de Munique: Israel acusa Irão de promover instabilidade no Médio Oriente
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

As baterias foram apontadas ao Irão no terceiro dia da Conferência de Segurança de Munique.
O ministro da Defesa de Israel garante que as políticas de Teerão são a principal ameaça à estabilidade na região do Médio Oriente. Avigdor Lieberman acusou o Irão de ser o maior financiador do terrorismo.

Lieberman disse ainda que “o acordo com o Irão é uma cópia do que foi estabelecido com a Coreia do Norte e agora vemos o resultado com a Coreia. Não há dúvida, se se perguntar a quem quer que seja no Médio Oriente, todos percebem que o Irão vai ser outro exemplo do acordo com a Coreia do Norte”.

Já o ministro dos Negócios Estrangeiros da Arábia Saudita, Adel al Yubeir afirmou que Teerão “é parte do problema e não da solução” no Médio Oriente, e rejeitou o diálogo sem que haja uma mudança fundamental das políticas iranianas”.

Estas posições mais críticas não abalaram o chefe da diplomacia do Irão. Mohammad Javad Zarif voltou a garantir que o país não está a produzir qualquer arma nuclear e que não vai responder às pressões vindas, por exemplo, dos Estados Unidos e do presidente Trump. “O Irão não se move por ameaças. O Irão responde muito bem ao respeito. Não reagimos bem a ameaças”, garantiu Zarif.

A Síria e a luta contra o autoproclamado Estado Islâmico também esteve em debate em Munique. O enviado especial da ONU à Síria defendeu que “se se quer derrotar o Daesh, é necessário, mesmo que pareça complicado e difícil de conseguir a longo prazo, uma política inclusiva, uma solução credível para a Síria. Esse é o desafio que se vai enfrentar nas próximas semanas”.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.