A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Google: Empresas norte-americanas suspendem publicidade

Google: Empresas norte-americanas suspendem publicidade
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Grupos norte-americanos como Johnson&Jonhson, Verizon e AT&T suspenderam as publicidades no Google e no YouTube, à semelhança do que aconteceu com outras empresas no Reino Unido nos últimos dias.

Os anunciantes temem que as suas publicidades sejam associadas a vídeos com conteúdos ofensivos, devido ao sistema automático de gestão de espaços publicitários usado pelo gigante norte-americano.

Google pediu desculpas e prometeu rever as práticas publicitárias, mas para a empresa é um golpe.

No ano passado, as receitas publicitárias do YouTube a nível mundial ultrapassaram os 5,5 mil milhões de dólares, de acordo com a empresa eMarketer.