Última hora

Última hora

Oposição britânica recebe anúncio de May com otimismo

Oposição britânica recebe anúncio de May com otimismo
Tamanho do texto Aa Aa

Tendo em vista as negociações para o Brexit, Theresa May pede eleições antecipadas, uma aposta que visa reforçar a sua maoiria mas que é também vista como uma oportunidade pelos partidos da oposição.

Ela assumiu as rédeas do executivo, sem ser eleita, dias após o simso do 23 de junho de 2016 provocado pelos resultados do referendo em que 52% dos britânicos votaram pelo para Brexit, levando seu antecessor David Cameron a demitir-se .

O lider do Partido Trabalhista, Jeremy Corvyn

Para validar o voto, três anos antes de sua data prevista, May ainda tem de obter aprovação parlamentar quarta-feira para a maioria de dois terços. “Congratulo-me com a oportunidade para o Partido Trabalhista em levar o caso ao povo da Grã-Bretanha, para enfrentar este governo e a sua falhada agenda económica que deixou o nosso sistema nacional de saúde cheio de problemas, que deixou as nossas Escolas sem financiamento, que deixou tantas pessoas inseguras.Queremos levar o caso além do povo da Grã-Bretanha, queremos uma sociedade que cuida de todos, uma economia que cuida de todos, e um Brexit que funcione para todos “.

Uma reação positiva, também, ao anúncio de May por parte da chefe do governo escocês, Nicolas Sturgeon : “Mas é muito claro que o anúncio da primeira-ministra, hoje, é um todo sobre os interesses estreitos de seu próprio partido, não os interesses do país em geral. Claramente ela agarra esta oportunidade para tentar esmagar toda a oposição, para se livrar das pessoas que discordam dela”.

Um mandato mais forte também permitiria a May resolver a questão da Escócia com mais calma. Os escoceses estão a caminho de um novo referendo da independência em resposta a Brexit que rejeitam.

Quanto ao chefe dos democratas liberais, Tim Farow, este defende uma oposição decente: “É uma oportunidade para as pessoas mudarem a direção deste país, decidir que não querem um Brexit duro, que querem manter a Grã-Bretanha no mercado único e, na verdade, é uma oportunidade para nós criarmos uma oposição decente neste país de que precisamos desesperadamente “

Theresa May assumiu as rédeas do executivo, sem ser eleita, dias após o sismo de 23 de junho de 2016 provocado pelos resultados do referendo em que 52% dos britânicos votaram pelo Brexit, levando seu antecessor David Cameron a demitir-se .