EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Macron visita memoriais do Holocausto

Macron visita memoriais do Holocausto
Direitos de autor 
De  Ricardo Figueira
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O candidato liberal às presidenciais francesas ataca as raízes do partido da adversária, Marine Le Pen.

PUBLICIDADE

Depois de Oradour-sur-Glane, a aldeia dizimada pelos nazis na Segunda Guerra Mundial, Emmanuel Macron continua a peregrinação pelos locais relacionados com a memória desta época, num claro confronto com as raízes da Frente Nacional da adversária Marine Le Pen. A mais recente paragem foram dois memoriais do Holocausto e da deportação, em Paris.

Présentation d' #archives sur le statut des Juifs pendant le régime de #Vichy à EmmanuelMacron</a> aujourd&#39;hui au <a href="https://twitter.com/Shoah_Memorial">Shoah_Memorialpic.twitter.com/iZgiAtlnea

— Mémorial de la Shoah (@Shoah_Memorial) April 30, 2017

No mesmo dia, também Marine Le Pen homenageou as vítimas do Holocausto, mas longe das câmaras.

“Temos hoje um dever que é duplo: o dever de memória e de garantir que algo semelhante não volta a acontecer. Isso significa não aceitar este enfraquecimento moral pelo qual alguns se sentem tentados, nem pelo relativismo, igualmente tentador, nem pelo negacionismo, no qual há quem procure refúgio”, disse Macron.

As instituições judaicas de França garantiram o apoio unânime ao candidato liberal, que tem também um novo apoio declarado, o do antigo ministro e líder centrista Jean-Louis Borloo, que se mostrou pronto para trabalhar com Macron.

La une du JDD
- Borloo : “Je veux aider Macron”
- Ce que Macron prépare
- Sondage : duel indécis
- Les clés de l'accord Le Pen-Dupont-Aignan pic.twitter.com/nGyy8k43EV

— Le JDD (@leJDD) April 29, 2017

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Polónia aprova polémico projeto-lei sobre o Holocausto

Parlamento francês aprova nova lei de imigração mais restritiva

Salvini diz que "Macron põe a Europa em perigo". Ventura pede votos para mudar a presidência da CE