Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

Crise do Golfo: A leitura de um especialista

Crise do Golfo: A leitura de um especialista
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

A região do Golfo foi atingida por um Tsunami diplomático depois da decisão de Arábia Saudita, Emirados Árabes Unidos, Bahrein, Iémen e Egito de cortar laços com o Qatar e condenar o país ao isolamento.

Para compreendermos melhor a situação e as suas consequências, falámos com o editor-chefe do site Rai al-Youm, Abdel Bari Atwan.

euronews:
O que deu origem a esta crise e porque é que esta decisão foi tomada agora?

Abdel Bari Atwan:
“Penso que esta crise foi principalmente provocada pelo aproximar de Qatar e Irão. O Qatar mantém o seu apoio à Irmandade Muçulmana e também tem fortes ligações com o Hamas. Em 2014 existiu um acordo para o país cortar relações com o Irão e a Irmandade Muçulmana mas o Qatar não cumpriu este acordo.

Agora existe uma aliança Islâmica, uma NATO árabe, se se pode dizer, contra o Irão e que é patrocinada por Donald Trump e parece que o Qatar se quer distanciar desta aliança.”

euronews:
Que leitura faz das reações turcas, russas e iranianas a esta crise no Golfo?

Abdel Bari Atwan:
“Não acredito que a Turquia vá irá arriscar qualquer tipo de conflito com a Arábia Saudita, os Emirados Árabes Unidos, o Egito e os Estados Unidos por causa do Qatar. Os interesses russos estão alinhados com os sauditas e não acredito que o Irão esteja disposto a entrar em guerra pelo Qatar. O Irão nem sequer entrou de forma direta na guerra síria e a Síria é um aliado… acha que o Irão o fará pelo Qatar?O que estes países estão indiretamente a dizer ao Qatar é para fazerem cedências e aceitarem as condições de Arábia Saudita e Emirados se quiserem paz.”

euronews:
O que podemos esperar nos próximos dias? Até onde pode chegar esta crise?

Abdel Bari Atwan:
“Nos próximos dias espero mais pressão no Qatar, já não existe confiança entre o Qatar e os seus oponentes. A última decisão foi tomada nesse sentido, para os qataris aceitarem as condições impostas pelos restantes países do golfo.

Caso isto não aconteça, creio que estes países irão passar ao plano B e acredito que isso possa passar por uma ação militar.”