Michel Temer recusa acusações

Michel Temer recusa acusações
De  Nara Madeira
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O presidente do Brasil, afirmou, num discurso transmitido na televisão, que as recentes acusações contra ele são forjadas.

PUBLICIDADE

O presidente do Brasil, afirmou, num discurso transmitido na televisão, que as recentes acusações contra ele são forjadas. Michel Temer garante que não fez nada de errado isto apesar do Procuradoria-geral Federal prosseguir a investigação, e ter mesmo pedido mais tempo para procurar mais provas contra o chefe de Estado:

“No momento em que saímos da mais grave crise económica da nossa história, quando havia sinais claros de que as reformas teriam maioria no Congresso Nacional, assacaram contra meu governo um conjunto de denúncias artificiais e montadas”, afirmou o Presidente.

Temer e Dilma Rousseff acabaram ilibados num caso levado ao Tribunal Superior Eleitoral, ainda que por curta margem. Quatro juízes decidiriam a seu favor, três contra. Em julgamento estavam as últimas presidenciais e o financiamento, que a Procuradoria considera ilegal, à coligação dos partidos dos dois responsáveis.

Esta situação pôs o país em suspenso:

“O imbróglio político no Brasil e muito profundo, mais do que dizer que o Brasil vai sofrer com esses temas políticos, o que podemos dizer é que o Brasil vai se estabilizar e entrar no rumo ótimo, de bom para ótimo, depois das eleições”, explica o analista Pablo Spyer.

Temer, acusado pelo procurador-geral do Brasil, de corrupção, obstrução à justiça e pertença a uma organização criminosa, insiste na sua inocência. Nas ruas, os brasileiros, e um pouco por todo o país, mostram o seu descontentamento e pedem a sua destituição.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Dezenas de milhares de brasileiros saíram à rua para mostrar apoio a Bolsonaro em São Paulo

Supremo Tribunal Federal derruba tese do marco temporal

Bolsonaro acusa Tribunal Superior Eleitoral de "punhalada nas costas"