Qatar rejeita ultimato dos vizinhos árabes

Qatar rejeita ultimato dos vizinhos árabes
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Doha diz estar disponível para o diálogo, mas entende que ambas as partes devem sair satisfeitas.

PUBLICIDADE

Com Lusa

O Estado do Qatar rejeita cumprir a lista com 13 exigências da parte dos vizinhos árabes do Golfo. Doha entende que referida lista é uma tentativa de violação da soberania do país.

Mohammed bin Abdulrahman, o ministro dos Negócios Estrangeiros do Qatar disse, este sábado, em Roma, que rejeitava as exigências e o ultimato dos vizinhos árabes, mas falou na possibilidade de um diálogo entre as partes:

“Tudo deve ser feito tendo como base um processo e num quadro de trabalho aceitável. Deve haver acordo entre as partes. Esta lista de exigência foi feita para ser rejeitada e não para ser negociada. O Estado do Qatar rejeita a lista por uma questão de princípio”, disse o MNE do Qatar.




Tensão diplomática no Golfo

A Arábia Saudita, o Bahrein, o Egito e os Emirados Árabes Unidos cortaram relações diplomáticas com o Qatar, acusando Doha de apoiar o jiadistas como os do autoproclamado Estado Islâmico ou Daesh e de se aproximar do Irão xiita, grande rival da Arábia Saudita.

A tensão subiu de tom após o envio a Doha de uma lista com 13 exigências da parte do grupo.

A lista, apresentada ao Qatar pelo Kuwait – que está ajuda a mediar a crise – os países exigiram o encerramento da televisão al-Jazeera, de uma base militar da Turquia e uma redução das ligações diplomáticas com o Irão.

Os quatro países exigiram ainda que Doha corte quaisquer contactos com o partido egípcio Irmandade Muçulmana e com outros grupos islamistas radicais como o xiita Hezbollah, a al-Qaida e o Daesh.

Desde o início desta crise diplomática, a Turquia decidiu aumentar o número de tropas destacadas na sua base militar no Qatar, tendo enviado também ajuda alimentar.

Nações Unidas: encerramento da al-Jazeera seria inaceitável

A ONU considerou “inaceitável” um eventual encerramento da cadeia de televisão al-Jazeera, com sede no Qatar, uma das exigências feitas pela Arábia Saudita e respetivos aliados, que deram um prazo até quatro de julho para o fecho da estação.

“Que se lembrem ou não, o que vocês desejam ou não, que estejam de acordo ou não, com os pontos de vista editoriais, as cadeias da al-Jazeera em árabe e em inglês são legítimas e têm milhões de espetadores”, sublinhou o Alto Comissário da ONU para os Direitos Humanos, Zeid Raad al-Hussein.

“A exigência de um encerramento é, do nosso ponto de vista, um ataque inaceitável ao direito e à liberdade de expressão e de opinião”, acrescentou o Alto Comissário da ONU para os Direitos Humanos.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Ressurgimento do terrorismo no Mali

Soldados israelitas matam dois atacantes palestinianos na Cisjordânia

EUA enviam submarino de mísseis teleguiados para o Médio Oriente