Tribunal considera que Musharraf é um "fugitivo" da Justiça

Tribunal considera que Musharraf é um "fugitivo" da Justiça
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O antigo militar, que se encontra atualmente no Dubai, deve ser detido e julgado, caso regresse ao país.

PUBLICIDADE

Um tribunal do Paquistão classificou como “fugitivo”, o antigo presidente Pervez Musharraf, acusado do homicídio da rival política Benazir Bhutto, em 2007.

O antigo militar, que se encontra atualmente no Dubai, deve ser detido e julgado, caso regresse ao país.

#Pakistan anti-terrorism court declares P_Musharraf</a> a fugitive in ex-premier Benazir Bhutto's murder trial <a href="https://t.co/XBIdkGUMKV">https://t.co/XBIdkGUMKV</a> <a href="https://t.co/gJVU2hugL3">pic.twitter.com/gJVU2hugL3</a></p>— AFP news agency (AFP) August 31, 2017

No primeiro veredicto, dez anos após o atentado, o tribunal ordenou que fossem confiscados os bens de Musharraf, e condenou, ainda, dois polícias a 17 anos de prisão.

“Os agentes desempenharam o papel de facilitadores. Deram-lhes liberdade de ação. Removeram a força policial do local, lavaram a cena do crime. Não permitiram que fosse realizado o exame “post-mortem” para que ninguém soubesse o que aconteceu”, informa o procurador Khwaja Imtiaz.

O tribunal absolveu, ainda, cinco suspeitos, com ligações aos talibãs.

Benazir Bhutto, eleita duas vezes primeira-ministra do Paquistão, foi assassinada num atentado suicida, após um comício nos arredores Islamabade no dia 27 de dezembro de 2007.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Regresso forçado de milhares de afegãos satura fronteira com o Paquistão

Mais de 165 mil afegãos obrigados a abandonar o Paquistão

Dezenas de mortos em alegados atentados suicidas no Paquistão