A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Milhares defendem referendo na Catalunha

Milhares defendem referendo na Catalunha
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Milhares de pessoas invadiram as ruas de Barcelona, na noite de quarta-feira, defendendo o referendo de autodeterminação da Catalunha.

Os cerca de 40 mil catalães protestaram, também, contra a detenção de 14 pessoas alegadamente envolvidas na preparação do processo do escrutínio popular marcado para 1 de outubro.


A polícia espanhola realizou, ainda, buscas em edifícios do Governo regional e apreendeu cerca de 10 milhões de boletins de voto destinados ao referendo.

Mariano Rajoy justificou a ação da polícia afirmando que “a desobediência à lei por um poder público é o oposto da democracia”. O presidente do Governo espanhol referiu, ainda, que “não é mais do que uma quimera impossível ou uma desculpa para aprofundar ainda mais a fratura que causaram na sociedade catalã”.

Em Madrid, cerca de um milhar de pessoas reuniu-se na Plaça del Sol manifestando apoio ao referendo

“É uma demonstração de solidariedade para com a Catalunha porque entendemos que o referendo não é apenas um problema catalão, é um problema para todo o Estado”, afirma um espanhol.

Outra espanhola diz que “devemos reivindicar a vontade do povo e acima de tudo o direito de decidir pela democracia direta, e isso é um referendo”.

O presidente do Governo regional da Catalunha, Carles Puigdemont, acusou Madrid de adotar uma “atitude totalitária“e assegurou que vai prosseguir com os preparativos para o referendo.