Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

Aborto: Milhares exigem alteração da legislação

Aborto: Milhares exigem alteração da legislação
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Milhares de irlandeses manifestaram-se, este sábado, em Dublin para exigir alterações à legislação sobre o aborto, na Irlanda, uma das mais restritivas da Europa.

O Governo irlandês anunciou, na terça-feira, que vai realizar um referendo, em maio ou junho de 2018, sobre o assunto.


O aborto, no país, não é totalmente interdito. A Constituição estipula que apenas pode ser realizado em caso de perigo para a mãe.

“Estamos muito mais atrasados, em termos globais, do que devíamos estar e é ridículo”, afirma um irlandês.

Uma irlandesa, que defende o direito da mulher defende que “ninguém deve ser obrigado a estar grávida, se não quiser”.De acordo com a legislação atual, abortar de forma ilegal, na Irlanda, constitui um crime passível de uma pena de 14 anos de prisão.

Contra a interrupção voluntária da gravidez, uma irlandesa conta assegura que “o aborto não ajuda as mulheres nem vai ao encontro das suas necessidades. Eu tive um filho depois de uma violação e o aborto ter-me-ia destruído e ao meu bebé também.”

Todos os anos, milhares de irlandesas viajam para o estrangeiro, em especial para o Reino Unido, para realizar uma interrupção voluntária da gravidez de forma legal.