Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Frances McDormand no caminho dos Óscares

Frances McDormand no caminho dos Óscares
Tamanho do texto Aa Aa

A 61ª edição do Festival de Cinema de Londres chegou ao fim, domingo, com uma comédia negra, violenta e carregada de palavrões. “Three Billboards Outside Ebbing”, do realizador Martin McDonagh, onde Frances McDormand é protagonista.

Em “Three Billboards Outside Ebbing”, Frances McDormand coloca-se no caminho dos Óscares ao assumir o papel de uma mãe cuja filha foi brutalmente assassinada e resolve enfrentar o chefe da polícia local.

Um dia depois de a Academia de Hollywood expulsar Harvey Weinstein, acusado por dezenas de mulheres de assédio sexual e de violação, as reações fizeram-se ouvir.

Para o realizador Martin McDonagh, a expulsão de Harvey Weinstein já devia ter acontecido há mais tempo: “Acho que é ótimo. Mas isto já devia ter acontecido há muitos anos”.

“Acho que aquilo que Hollywood devia fazer é usar Hollywood para servir as pessoas e não os seus próprios bolsos. Penso que Hollywood devia ser usada para educar as pessoas em vez de estupidificá-las. Penso que Hollywood devia encontrar uma maneira de se reerguer e ter verticalidade,” afirmou o ator Clarke Peters.

“Eu acho que as acusações são horríveis, acho que é uma coisa horrível e é bom que se faça alguma luz sobre o assunto, sim,” considerou o ator Sam Rockwell

O ator Woody Harrelson recusou-se a abordar o assunto: “Todos colocam questões sobre o Harvey, mas isso é sobre a última coisa sobre a qual quero falar”.

Durante a quinzena, foram recebidos mais 900 filmes, entre eles “A fábrica de nada”, de Pedro Pinho, e “Speel Reel”, de Filipa César.