Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

Catalunha e Governo espanhol em rota de colisão

Catalunha e Governo espanhol em rota de colisão
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

A Catalunha e o governo espanhol entraram esta quinta-feira definitivamente em rota de colisão.

Numa carta enviada ao presidente do governo, Mariano Rajoy, o líder dos catalães, Carles Puigdemont, lembrou que a percentagem de votos do último referendo foi superior à dos britânicos que lançaram o Brexit e ameaçou votar formalmente a independência da região. Na missiva – enviada no último dia dado pelo executivo de Madrid para ser reposta a legalidade – Puigdemont referiu ainda que a ameaça da votação no parlamento regional será concretizada caso Madrid não aceite o diálogo e continue a repressão policial.

A resposta do governo veio pelo porta-voz Iñigo Mendez de Vigo, que anunciou aos jornalistas que o governo vai avançar mesmo com a aprovação do artigo 155, que prevê a suspensão da autonomia da região.

“Na ausência de uma resposta clara e precisa, o Governo entende que não foi respondido o seu requerimento e, portanto, continuará com os procedimentos previstos no artigo 155 da Constituição, com o objetivo de restaurar a legalidade na Catalunha”, declarou.


Iñigo Mendez de Vigo foi mais longe apontou o dedo aos líderes da Generalitat pela tensão social e pelos prejuízos económicos na Catalunha: “Que ninguém tenha dúvidas de que o governo usará todos os meios à sua disposição para restaurar o mais rápido possível a legalidade e a ordem constitucional, recuperar a convivência pacífica entre os cidadãos e travar a deterioração da insegurança política e jurídica pelas quais os líderes da Generalitat são os únicos responsáveis, causando na Catalunha um prejuízo económico e social óbvios para todos os cidadãos.”

O Governo espanhol vai reunir-se no próximo sábado em conselho de ministros extraordinário para aplicar o artigo 155 da Constituição. A suspensão do estatuto de autonomia da Catalunha terá ainda de passar pela aprovação do Senado.