Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

A revolução russa de 1917 vivida na internet

A revolução russa de 1917 vivida na internet
Tamanho do texto Aa Aa

Um século depois, a revolução russa de 1917 está a acontecer na internet.

O “Projeto 1917” criado há um ano, é uma verdadeira rede social, onde surgem conteúdos da Rússia de há um século, saídos dos arquivos históricos, dos jornais da época e que permitem perceber o quotidiano dos russos sob o poder dos bolcheviques.

“’Os bolcheviques tomaram o banco estatal e a estação de telefones de Petrogrado. O primeiro-ministro Kerensky arranjou tropas para proteger o palácio de inverno. Milhares de marinheiros estão a deslocar-se de Helsinquia para Petrograd. Estamos a acompanhar em tempo real, os acontecimentos da revolução bolchevique”, conta o sub-editor do projeto, Andrei Borzenko.

O projeto nasceu há um ano e conta com numerosas publicações de cidadãos anónimos e também de pessoas famosas da época – escritores, políticos, etc.

“Uma das minhas personagens favoritas é o diplomata Lev Urusov Encontrámos o seu diário. Há cerca de uma hora escreveu no nosso stream”: ‘os bolcheviques agiram. Tudo está a contecer tão facilmente como era suposto. Só podemos ficar surpreendidos e perguntarmos a nós próprios como é que Kerensky poderia ter contido este poder’.

Cerca de 100 pessoas, incluindo conceituados jornalistas russos, estão há um ano a trabalhar no projeto tendo como base os arquivos históricos, os jornais da época, cartas, diários e mesmo testemunhos que foram passando nas famílias de geração em geração para criarem o quotidiano do povo que, desde esse mês de outubro de 1917 só foi piorando, com o passar dos anos.