EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Presidente alemão apela ao diálogo para resolver impasse político

Presidente alemão apela ao diálogo para resolver impasse político
Direitos de autor 
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Christian Lindner, o líder liberal que tirou o tapete a Angela Merkel, declarou: "preferimos não governar, do que governar mal".

PUBLICIDADE

É uma situação inédita na Alemanha desde o fim da Segunda Guerra Mundial: passaram dois meses das eleições, o país ainda não tem governo e as negociações de Angela Merkel com os Verdes e os Liberais acabaram de colapsar, com estes últimos a bater a porta. Entra em cena o presidente alemão, Frank-Walter Steinmeier, depois de se reunir com a chanceler.

“Os partidos que se apresentaram às eleições de setembro têm uma responsabilidade perante a Alemanha. É uma responsabilidade que não pode ser simplesmente devolvida aos eleitores. É uma responsabilidade que ultrapassa todos os interesses individuais e que não assenta apenas naquela que existe em relação aos eleitores do nosso próprio partido”, declarou, num brevíssimo discurso.

Steinmeier apela ao compromisso para formar governo, depois de Christian Lindner, o líder liberal que tirou o tapete a Merkel, declarar: “preferimos não governar, do que governar mal”. Lindner alegou “divergências irreconciliáveis” com os conservadores e os Verdes – a tão falada coligação Jamaica. A imigração e o ambiente terão sido das principais fontes de desacordo.

Em traços gerais, existem dois caminhos agora, mas que podem levar a um impasse: eleições antecipadas – que muitos rejeitam por receio de um novo avanço da extrema-direita -, ou a formação de um governo minoritário – que Merkel já afirmou não querer.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Maximilian Krah expulso: AfD nomeia novo chefe da delegação do Parlamento Europeu

AfD rejeita acusações de propaganda pró-russa a troco de dinheiro

Robert Habeck, vice-chanceler da Alemanha: A Europa deve afirmar-se e ser capaz de defender-se