A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Varsóvia é um dos principais destinos para fazer negócios

Varsóvia é um dos principais destinos para fazer negócios
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Localizada no coração da Europa, Varsóvia está pronta para competir com as melhores cidades do continente pelo investimento. O progresso da Polónia é mais evidente na capital. Nesta edição de Spotlight, exploramos a cidade que se posiciona para ser um centro atrativo e competitivo para investir e viver. Surgiram mais de cinco milhões de metros quadrados destinados a empresas. Um número que ultrapassa até mesmo o boom imobiliário. Visitámos várias empresas para saber o que este “boom” significa para o futuro da cidade”.

Dados essenciais sobre a Polónia

  • 38,4 milhões de habitantes na Polónia
  • 239.500 alunos no ano 2016/2017
  • Varsóvia é n°1 na Polónia em termos de satisfação do investidor
  • 40% dos habitantes de Varsóvia falam inglês, quase 20% falam pelo menos duas línguas estrangeiras

De blocos de cimento a arranha-céus de vidro, a transformação da cidade está em andamento. A Echo investment vê Varsóvia como uma cidade moderna em construção. Está a transformar uma antiga cervejaria num local elegante na baixa da cidade, um projeto que inclui escritórios e residências. Mais de 750 mil metros quadrados estão atualmente em construção e metade são arranha-céus. Apesar do menor número de grandes arrendamentos, 2016 foi um bom ano no mercado de leasing de Varsóvia.

A empresa eslovaca HB Reveais seguiu o slogan: “o céu é o limite” quando começou a construir a Torre Varso. Com 310 metros e co conclusão prevista para 2020. Com uma arquitetura e design de interiores de prestígio, Varsóvia captou a atenção de grandes marcas globais. A Collier, uma empresa canadiana de consultoria imobiliária, no ativo em Varsóvia desde 1997, acredita que a cidade se tornou mais atraente tanto para as empresas estabelecidas como para os recém-chegados.

Espaços dedicados a escritórios na cidade são sempre boas notícias para o mercado de trabalho. No entanto, colocar os talentos certos nas empresas certas é fundamental para o avanço dos projetos.

O mercado de trabalho da Polónia está ativo, em setembro de 2017 a taxa de desemprego era de 2,3%. A Michael Page, a empresa internacional de recrutamento estabeleceu-se em Varsóvia em 2005. A empresa entrevista, aproximadamente, 18 mil candidatos por ano. “É possível encontrar uma boa combinação entre o acesso ao talento, o acesso ao espaço empresarial e o custo total. O talento aqui em Varsóvia é grande e diversificado. Diversificado ao nível da formação assim como ao das línguas – esta diversidade proporciona aquilo que as empresas procuram”, explica Yannick Coulange da Michael Page.

O JPMorgan, o maior banco de investimento norte-americano, vai abrir novos escritórios na cidade e anunciou que pretende contratar 3 mil pessoas nos próximos anos. Para apoiar e atrair empresas para a cidade, a Câmara Municipal de Varsóvia reúne esforços. O vice-presidente, Michał Olszewski é um dos responsáveis pelo desenvolvimento de iniciativas empresariais. Depois de uma longa história atormentada pela instabilidade, Varsóvia é a 6ª cidade mais segura da Europa e pretende continuar a desenvolver um caráter único.

Mas, como é que Varsóvia pode competir com outros centros comerciais da Europa como Londres, Frankfurt e Paris?“Acredito que é principalmente por causa da qualidade de vida e da boa relação entre o custo e a acessibilidade dos serviços. Varsóvia como uma capital da Europa do centro-leste pode oferecer muito mais do que muitas outras cidades: acesso a espaços verdes; acesso ao lazer, que é muito atraente e, claro; a qualidade dos locais de trabalho que existem aqui – é um dos elementos fundamentais para muitos investidores. Daqui a dez anos ainda teremos o mesmo caráter que temos agora, o caráter da cidade em equilíbrio… Em equilíbrio com a natureza, com o lazer, com a boa qualidade da economia e com boas acessibilidades”, conclui Michał Olszewski.

Credit Warsaw Timelapse : Maciej Margas