Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Coreia do Norte dispara novo míssil capaz de alcançar o Havai

Kim Jong-un terá ordenado o ensaio de um novo míssil na Coreia do Norte
Kim Jong-un terá ordenado o ensaio de um novo míssil na Coreia do Norte -
Direitos de autor
KCNA/File Photo via REUTERS
Tamanho do texto Aa Aa

A Coreia do Norte lançou um novo míssil balístico intercontinental às primeiras horas desta quarta-feira, revelaram as forças armadas sul-coreanas e confirmaram os Estados Unidos.

A Coreia do Sul especificou que o engenho terá sido disparado de Pyongsong, na província de Pyong sul, a norte da capital norte-coreana, Pyongyang, lê-se na agência de notícias local Yonhap.

Os dados sul-coreanos sugerem que o míssil tenha seguido uma rota em arco e pela altitude atingida é possível que até tenha percorrido mais de 10 mil quilómetros, o que colocaria o Havai, a 7500 quilómetros e onde está o quartel-general das forças americanas no Pacífico, ao alcance da Coreia do Norte num disparo mais longitudinal.

O Pentágono acrescentou que o projétil terá voado até uma distância de quase 1000 quilómetros antes de cair no Mar do Japão, na zona económica exclusiva nipónica.

O Comando Norte-Americano de Defesa Aeroespacial garantiu que o lançamento não representou qualquer perigo para o norte da América, os territórios americanos nem para os respetivos aliados.

O Presidente dos Estados Unidos foi informado ainda o projétil norte-coreano voava. Numa primeira reação, ao lado do general James Mattis, Donald Truimp prometeu "lidar com a situação."

Este terá sido o primeiro míssil disparado pela Coreia do Norte em dois meses e meio.

O último lançamento conhecido ocorreu a 15 de setembro. Um míssil de médio alcance foi disparado da Coreia do Norte e sobrevoou o Japão, onde se fizeram ouvir as sirenes de emergência, antes de cair no mar.

Donald Trump garante que lançamento de míssil não muda abordagem americana ao problema da Coreia do Norte