Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Impasse político nas Honduras

Impasse político nas Honduras
Tamanho do texto Aa Aa

Dois dias depois, as Honduras continuam à espera dos resultados oficiais das eleições presidenciais. Os observadores locais já criticaram o atraso por parte do Tribunal Supremo Eleitoral numa altura em que os resultados parciais apontam para uma vantagem do candidato da Aliança de Oposição contra a Ditadura sobre o chefe de Estado cessante.

Salvador Nasralla não esperou pela contagem final dos votos para reclamar vitória: "como sabem já ganhámos isto. Não se deixem influenciar pelo que diz a comunicação social."

Um exemplo seguido pelo candidato Juan Orlando Hernández, chefe de Estado cessante que procura a reeleição. A decisão do Tribunal Constitucional de autorizar a candidatura do atual presidente quando a Constituição proíbe qualquer reeleição foi denunciada pela oposição, durante a campanha eleitoral, como uma tentativa de fraude.

No total, nove candidatos apresentaram-se na corrida eleitoral.

Os eleitores foram chamados às urnas, este domingo, para escolher o chefe de Estado, três vice-presidentes, 128 deputados para o Parlamento Nacional e 20 para o Parlamento Centro-Americano, além de 298 autarcas.

O escrutínio foi acompanhado por uma missão internacional de observadores. A eurodeputada Marisa Matias, do Bloco de Esquerda, liderou a missão de observação eleitoral da União Europeia. Enquanto, o eurodeputado José Inácio Faria, do Partido da Terra, liderou a missão de observação do Parlamento Europeu.

Com 8,6 milhões de habitantes, as Honduras são um dos países mais pobres da América Latina.