A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Isabel dos Santos transfere milhões horas antes de conta ser congelada

(Arquivo) Isabel dos Santos durante uma entrevista
(Arquivo) Isabel dos Santos durante uma entrevista
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

A empresária Isabel dos Santos terá transferido 238 milhões de euros sete horas antes de uma conta ser congelada por ordem de um tribunal das Ilhas Virgens Britânicas. A informação é avançada pelo jornal Público, que revela que os fundos foram transferidos pouco antes de, a pedido da Oi, o tribunal ter emitido uma ordem de congelamento de bens da Vidatel, sociedade controlada por Isabel dos Santos, entre os quais uma conta do Banco Português de Investimento.

Ainda segundo o periódico português, em 2015, a Oi (através da PT Ventures) apresentou um pedido urgente de congelamento dos bens da Vidatel - a empresa através da qual Isabel dos Santos controla 25% da empresa angolana de telecomunicações móveis Unitel - como medida cautelar enquanto aguarda a conclusão de um processo arbitral contra os parceiros angolanos na Unitel.

No processo, a PT Ventures reclama uma indemnização de cerca de 2800 milhões de euros por dividendos não pagos e outras mais-valias.

O valor está a ser reclamado pelos brasileiros num processo arbitral na Câmara de Comércio Internacional, em Paris. A primeira audiência do processo está agendada para fevereiro de 2018.

Unitel justifica falta de pagamento de dividendos com crise em Angola

Entretanto, a Unitel justificou a falta do pagamento de mais de 600 milhões de Euros de dividendos à PT Ventures com a crise em Angola, em particular na conversão de divisas.

“O pagamento dos dividendos ao exterior, por razões macroeconómicas de Angola, nomeadamente falta de divisas, não foi possível até à data, pois é necessária a sua conversão em dólares ou euros, para devida exportação”, pode ler-se num comunicado da empresa.