A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Membro das Pussy Riot detida em Moscovo

Membro das Pussy Riot detida em Moscovo
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Maria Alekhina, membro do grupo Pussy Riot, decidiu protestar contra o Serviço de Segurança da Federação Russa, o FSB.  

Assinalava-se o centésimo aniversário da criação da Cheka, uma das primeiras organizações da polícia secreta da antiga União soviética, antecessora do conhecido KGB.

A jovem foi surpreendida pela polícia quando exibia um cartaz com a frase "Feliz Aniversário, carrascos". Juntamente com a ativista, foram detidos dois fotógrafos.

Agora, as autoridades acusam-na de participação em manifestação não autorizada. De acordo com a agência estatal russa Interfax, Alekhina arrisca-se a 15 dias de prisão.

Maxim Pashkov, advogado de Alekhina, disse aos jornalistas que "conhece o Kremlin" e sabe o que é "trabalhar com pessoas para quem a democracia é uma forma de vida".

Disse ainda que a detenção de Maria Alekhina é absurda. Em 2012 , Maria Alekhina foi uma das condenadas por cantar uma canção considerada anti-Putin, numa catedral moscovita.