NATO intensifica testes militares no Mar do Norte

NATO intensifica testes militares no Mar do Norte
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

A organização ensaiou manobras de reabastecimento aéreo com bombardeiros B52 e aviões KC-135.

PUBLICIDADE

É com a segurança da Europa no horizonte que a NATO está a efetuar testes militares sobre o Mar do Norte. A partir de bases na Grã-Bretanha, a organização prepara potenciais cenários de guerra, perante a escalada de tensão em diferentes pontos do globo.

Entre os exercícios destaca-se a presença de quatro bombardeiros B52, provenientes dos Estados Unidos, que participaram numa manobra de reabastecimento aéreo com o apoio de KC-135.

"Podem ver o tubo abastecedor atrás de mim. Ele agora está junto ao avião e o que vai acontecer durante o reabastecimento é que ele vai descer e estender-se na direção do receptor, pois o receptor vem por trás do KC-135 para obter combustível", afirma a capitã Lauren Ott, da Força Aérea dos Estados Unidos.

Uma manobra aérea extremamente complexa e que exige enormes medidas de segurança. No entanto, é também fundamental por aumentar o raio de ação dos B-52, capazes de transportar armas nucleares.

Com o renovado alcance, estes aviões vão muito além do espaço europeu, atingindo na verdade qualquer ponto no mundo. E os testes de reabastecimento estendem-se também a outros aviões de combate, para elevar as capacidades de resposta da NATO.

"Isto é realmente para afirmar uma postura abrangente de dissuasão não só nesta região, mas em todo o mundo. É no sentido de dar confiança aos nossos aliados contra qualquer potencial adversário no mundo de hoje", subscreve o coronel Christopher Armhein, da Força Aérea norte-americana.

Estas operações conduzidas a partir da Grã-Bretanha surgem também dias depois de a força aérea britânica ter detetado dois bombardeiros russos a apenas 80 quilómetros da costa britânica. Um potencial sinal de alerta e que leva a NATO a mostrar que está atenta.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Brexit, Rússia, EUA desafiam o papel europeu na defesa mundial

Chefe da diplomacia europeia avisa: "Temos de trabalhar juntos, mais rápido e melhor"

Tribunal dos Países Baixos ordena que governo neerlandês suspenda venda de peças de F-35 a Israel