EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Milhares de curdos protestam contra a Turquia

Milhares de curdos protestam contra a Turquia
Direitos de autor REUTERS/Thilo Schmuelgen
Direitos de autor REUTERS/Thilo Schmuelgen
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Apesar dos receios de confrontos entre curdos e grupos nacionalistas turcos, a manifestação decorreu sem incidentes.

PUBLICIDADE

"Erdogan terrorista", uma das palavras de ordem de milhares de curdos que se manifestaram este sábado na cidade alemã de colónia contra a ofensiva militar turca em Afrin, no noroeste da Síria, e a venda de armamento alemão a Ancara.

Claro que o nosso interesse hoje é conseguir que a nossa mensagem passe, acima de tudo, para o governo federal, para que eles não concluam o acordo sobre a venda de tanques à Turquia, que tenha um impacto naquele país e para repensar as relações turco alemãs, também. E finalmente encontrar um caminho para a comunidade curda, não com proibições mas através do diálogo", explica Ayten Kaplan, vice-direitora da organização dos curdos na Alemanha, Nav-Dem.

A manifestação foi organizada pela associação Nav-Dem, federação que reúne os curdos na Alemanha, agrupamento que segundo a polícia, é próximo do ilegalizado PKK, Partidos dos Trabalhadores do Curdistão.

Apesar dos receios de confrontos entre curdos e grupos nacionalistas turcos, a manifestação decorreu sem incidentes.

**Ofensiva militar na Síria e venda de armamento alemão à Turquia

**

O exército turco lançou há uma semana uma ofensiva militar na região síria de Afrin para contrariar a crescente influência da milícia curda YPG na região, tendo Ancara ameaçado expandir os ataques a outras regiões do país, onde existem bastiões curdos.

Segundo a revista alemã Der Spigel, no final de 2017, o Governo alemão permitiu a venda e envio de armamento germânico para a Turquia, país membro da NATO.

Berlim garantiu que "respeitou" os "interesses securitários" da Turquia, mas salientou estar "muito preocupado" com a situação.

(Com Lusa)

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Turquia ataca Afrin e Erdoğan promete: Manbij é a seguir

PKK reivindica atentado contra instalações da polícia turca

Parlamento alemão debate violência no país e condena ataque contra Robert Fico