Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Tiroteio Florida: FBI faz "mea culpa"

Tiroteio Florida: FBI faz "mea culpa"
Tamanho do texto Aa Aa

O FBI reconhece não seguido os protocolos estabelecidos no caso do autor confesso do tiroteio numa escola secundária da Florida.

Em causa uma denuncia feita, em janeiro, a alertar para a ameaça e descurada pela Polícia Federal norte-americana. O FBI admite que, contrariamente, ao que ditam as regras essa informação não foi transmitida ao escritório de Miami e que não foi feita qualquer investigação.

O ataque provocou 17 mortos. Ainda, em choque, os Estados Unidos prestam a última homenagem às vítimas de Parkland.

Esta quinta-feira, o autor confesso do tiroteio fez uma breve aparição em tribunal. A defesa referiu que que o jovem de 19 anos, um ex aluno da escola, está "destroçado" e "arrependido."

O segundo ataque mais mortífero em escolas públicas do país trouxe para a luz do dia o debate sobre o controlo e porte de armas. Donald Trump associa a violência, desta quarta-feira, a um problema de saúde mental. Os democratas a um problema mais amplo que é preciso atacar.

Certo, é que só este ano os Estados Unidos já contabilizaram 18 incidentes com armas de fogo em estabelecimentos de ensino do país.

O maior massacre remonta a 2007, na Universidade de Virginia Tech, na altura em que foram mortas 33 pessoas.