EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

Theresa May quer cidadãos da UE no Reino Unido pós "Brexit"

Theresa May quer cidadãos da UE no Reino Unido pós "Brexit"
Direitos de autor REUTERS/Peter Nicholls
Direitos de autor REUTERS/Peter Nicholls
De  Miguel Roque Dias com Reuters
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

A primeira-ministra britânica assegurou que será criado um sistema de registo simples e fácil de usar.

PUBLICIDADE

Theresa May quer que os cidadãos da União Europeia que vivem legalmente no Reino Unido permaneçam no país após o "Brexit", em 2019.

Este é um dos principais pontos das difíceis negociações entre Bruxelas e Londres.

No Parlamento, a primeira-ministra britânica assegurou que será criado um sistema de registo simples e fácil de usar.

"O processo de requerimento para o do estatuto estabelecido não vai custar mais do que o custo de um passaporte britânico. Os cidadãos da União Europeia terão um período de dois anos para se candidatar, através de um sistema digital, simples e fácil de usar. Vai assegurar que iremos fornecer um processo simples e fácil para as pessoas", assegura a líder britânica.

A campanha "anti-brexit" continua nas ruas do Reino Unido. Durante oito dias, um autocarro vai percorrer o país com a inscrição: sair da União Europeia vai custar mais de dois mil milhões de libras por semana".

Theresa May voltou a garantir, esta quarta-feira, que não haverá um segundo referendo sobre o "Brexit".

De acordo com a Bloomberg, o Governo de Londres quer pedir um período de transição mais alargado após a saída do que o já acordado com a Comissão Europeia. Uma proposta que não agrada o Partido conservador que prefere uma saída mais dura e rápida.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Afinal, Nigel Farage vai concorrer às eleições no Reino Unido

Unionistas terminam bloqueio: parlamento da Irlanda do Norte pode retomar atividade no fim de semana

Batalha legal contra as "prisões" temporárias de requerentes de asilo em Inglaterra