Última hora

Última hora

Os melhores momentos da Berlinale

Em leitura:

Os melhores momentos da Berlinale

Os melhores momentos da Berlinale
@ Copyright :
REUTERS/Fabrizio Bensch
Tamanho do texto Aa Aa

Ao fim de 10 dias o festival de Berlim terminou com Bill Murray na passadeira vermelha:

"Mais de 400 filmes, 19 deles em competição para o Urso de Ouro. O realizador de cinema alemão, Tom Tykwer, foi o presidente do júri.

Apresentamos alguns pontos altos do certame e revemos os principais vencedores da edição deste ano.

Wes Anderson e Bill Murray tocaram bateria na noite de abertura. Jeff Goldblum, Tilda Swinton e Bryan Cranston estiveram entre as estrelas de Hollywood. Entre as europeias estiveram Robert Pattinson, Isabelle Hupert e o músico britânico Ed Sheeran.

Willelm Dafoe foi homenageado pelas suas conquistas.

Um grande momento para o cinema romeno, a realizadora Adina Pintilie, venceu o Urso de Ouro para melhor filme, a sua mistura entre ficção e documentário também foi premiada como melhor primeiro filme.

A cineasta filmou com amadores e atores profissionais e ela própria embarcou numa viagem onde se explora e ultrapassa os limites em termos de experiências sexuais:

"O filme convida o espectador a desafiar a sua perspetiva sobre a intimidade, a beleza, sobre a forma como as pessoas podem relacionar-se entre si e abraçar a diferença", referiu a realizadora.

O francês Anthony Bajon foi galardoado como o prémio para melhor ator pelo seu desempenho, enquanto protagonista, no filme Céderic Kahn.

O ator convenceu o júri com seu retrato, emocionalmente cruel, de um jovem que luta para superar a sua dependência das drogas num retiro católico nos Alpes.

"É impressionante. Nunca é fácil enervarmo-nos no grande ecrã porque é algo que tem de surgir naturalmente, e as cenas seguiam-se uma após a outra. Eram muitas e, portanto, era preciso manter a mesma energia, renová-la sempre: é isso que é complicado", explicou o ator.

O galardão para melhor atriz foi para Anna Brun pela sua interpretação de uma lésbica idosa que toma as rédeas da sua vida depois de a sua companheira ir para a prisão.

O filme paraguaiano de Marcelo Martinessi ganhou o prémio da imprensa internacional (FIPRESCI) e um Urso de Prata para melhor filme que abre novas perspetivas:

"Gostaria de agradecer a este grande elenco de mulheres que, realmente, encarnou as personagens, muito obrigado", adiantou Martinessi.

Outro Urso de Prata, mas para melhor realizador foi atribuído a Wes Anderson para o filme de animação "Isle of Dogs". Bill Murray, uma das estrelas caninas, aceitou o prémio em nome do cineasta:

"Nunca pensei que trabalharia como um cão e voltaria para casa com um urso", brincou Murray.

O urso de prata do Grande Júri foi para o filme "Twarz" de Marguxata Xumarxca Małgorzata Szumowska, da Polónia.

A película retrata um jovem alvo de uma operação plástica após um acidente que começa a perder a sua identidade e a ser rejeitado pela sociedade que já não o reconhece.

"Estou extremamente feliz, completamente feliz!" - Afirmou a realizadora.

Mais sobre cinema