Última hora
This content is not available in your region

Morte de jornalista eslovaco levanta dúvidas em Bruxelas

euronews_icons_loading
Morte de jornalista eslovaco levanta dúvidas em Bruxelas
Tamanho do texto Aa Aa

Bruxelas foi palco de uma vigília para lembrar o jornalista eslovaco Jan Kuciak e a sua namorada, assassinados na Eslováquia.

Na capital belga, entre velas e uma citação de Vaclav Havel - "A verdade e o amor devem prevalecer sobre a mentira e o ódio" - a organizadora da cerimónia usou o evento para exigir justiça.

"O que aconteceu recentemente tocou o meu coração tal como o coração de muitos dos meus compatriotas. Por isso, eu e outros eslovacos que vivem aqui, decidimos prestar uma homenagem ao jornalista assassinado e à sua noiva. E também preparámos uma declaração para o nosso governo, para os procuradores, para que realizem uma investigação justa deste caso," Veronika Jankovicova.

O porta-voz da Comissão Europeia, Alex Winterstein, confirmou que estão atentos a revelações da imprensa eslovaca que afirmam que Jan Kuciak foi morto por investigar o envolvimento da máfia italiana no roubo de fundos agrícolas da União Europeia na Eslováquia.

"Estamos a par desses relatos da imprensa eslovaca e estamos a acompanhar a situação. Já enviámos uma carta à autoridade que realiza os pagamentos a solicitar informações sobre o possível uso indevido de fundos agrícolas," Alex Winterstein.

No Parlamento Europeu, Manfred Weber, líder do maior grupo, o PPE, exigiu que o Parlamento Europeu envie um comité de investigação à Eslováquia, tal como foi feito com Malta depois da morte da jornalista Daphne Caruana Galizia.