A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Frente Nacional debate crise existencial em congresso

Frente Nacional debate crise existencial em congresso
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Ao fim de 46 anos de existência, a Frente Nacional questiona o caminho a seguir. O partido fundado por Jean-Marie Le Pen debate este fim de semana, num congresso em Lille, a mudança de nome e de rumo, após o desaire nas eleições presidenciais francesas e a controversa saída de membros da direção.

Um dos objetivos anunciados é o distanciamento definitivo de Jean-Marie Le Pen, cujo cargo de presidente honorário deverá ser extinto.

"Marine Le Pen diz que pretende mudar o nome da Frente Nacional. Para mim, é uma iniciativa suicidária, tanto em matéria comercial, como a nível político", declara o fundador.

A historiadora Valérie Igounet pergunta: "Mudar de nome significa o quê? Significa que a Frente Nacional quer concluir o processo de reabilitação para começar a refundar-se. Mas, para os observadores, trata-se apenas de uma operação cosmética"

O partido, cuja presidente recolheu mais de 10 milhões de votos na segunda volta das presidenciais, assistiu recentemente à saída de Florian Philippot, que criou um novo movimento chamado "Os Patriotas".