A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Puigdemont detido pela polícia quando entrava na Alemanha

Carles Puigdemont esteve na última semana na capital da Finlândia
Carles Puigdemont esteve na última semana na capital da Finlândia -
Direitos de autor
Lehtikuva/Martti Kainulainen via REUTERS
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Carles Puigdemont foi detido pela polícia alemã quando entrava no país oriundo da Dinamarca. O ex-presidente da região autónoma da Catalunga é alvo de um mandado de detenção internacional a pedido de Espanha e tinha conseguido sair da Finlândia sem ser interpelado pelas autoridades locais.

O político independentista catalão estaria de regresso à Bélgica, onde fixou residência em outubro após as autoridades espanholas lhe terem aberto um processo na justiça por rebelião.

A detenção também já foi confirmada pela polícia germânica.

Jaume Alonso-Cuevillas, o advogado, acrescentou que "o trato tem sido correto em todo os momentos", que Puigdemont se encontra "numa esquadra" e que "a defesa jurídica já está ativada."

O advogado reiterou que o antigo líder catalão se dirigia à Bélgica para "se colocar, como sempre, à disposição da justiça belga."

No sábado, pelas redes sociais, Puigdemont prometeu "lutar até ao fim" pela liberdade na Catalunha " e por todos aqueles que considera "reféns de um Estado opressor", por alusão ao governo espanhol.

O catalão tinha estado na capital da Finlândia onde se encontrou com vários deputados locais e deu uma conferência na Universidade de Helsínquia.

No sábado, as autoridades belgas confirmaram a reativação do mandado de detenção internacional contra o ex-presidente do governo regional catalão.

Na sexta-feira, as autoridades finlandesas já teriam recebido essa informação e teriam iniciado buscas pelo político independentista catalão, sem o conseguir localizar.

Mikko Kärnä, deputado finlandês pela Lapónia e que foi o anfitrião de Puigdemont em Helsínquia, denunciou na sexta-feira o pedido espanhol ao governo finlandês para a extradição do político independentista e, no sábado, adiantou que o antigo líder da Catalunha já havia deixado a Finlândia com destino à Bélgica.