A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Rússia dá "resposta simétrica" aos EUA na crise diplomática

Rússia dá "resposta simétrica" aos EUA na crise diplomática
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

A Rússia respondeu na mesma moeda aos Estados Unidos e ordenou a expulsão de 60 diplomatas, que têm até ao dia 5 de abril para deixar o território russo. Na embaixada norte-americana em Moscovo, são muitos os diplomatas que vão ter de sair, mas a representação mais afetada é o consulado em São Petersburgo, que vai simplesmente fechar. As autoridades russas revogaram a autorização de funcionamento deste consulado, que vai ter de encerrar até ao fim deste mês.

Não é uma mera resposta (...) Queremos descobrir a verdade.

Serguei Lavrov MNE da Rússia

Para o ministro dos Negócios Estrangeiros Serguei Lavrov, trata-se de mais que uma resposta: "Não vamos reagir simplesmente ao que os países anglo-saxónicos estão a fazer connosco, ao forçar os outros a prosseguir um caminho anti-Rússia. Queremos descobrir a verdade", disse o chefe da diplomacia.

Esta onda de sanções foi motivada pelo envenenamento de um antigo espião russo no Reino Unido. O governo britânico acusa o Kremlin de estar por detrás do caso e de não querer colaborar. Depois do Reino Unido e dos Estados Unidos, vários outros países membros da União Europeia e da NATO expulsaram diplomatas russos. Portugal está entre os sete países da UE que decidiram não seguir esse exemplo.