Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.
Última hora

O Japão de Dagur Sigurdsson

O Japão de Dagur Sigurdsson
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Tranquilidade, relaxamento e elegância. A Euronews foi a um onsen, em Tóquio, um spa japonês com uma particularidade: é possível tomar banho em águas quentes subterrâneas.

Foi num onsen que encontrámos o treinador da seleção japonesa de andebol, para descansar.

Dagur Sigurdsson prepara a equipa de andebol nipónica para os Olímpicos de 2020, que têm lugar em Tóquio.

Um desafio para o islandês, que conhece bem o Japão, onde jogou como profissional, no Wakunaga Hiroshima.

“Para mim, o Japão é incrivelmente bonito. Quis sempre voltar. Nunca deixei de pensar nisso. Surgiu esta oportunidade e foi uma opção muito boa para mim. Sabia que iria ser uma boa opção de vida. Para a minha qualidade de vida e mesmo para a minha família,” explicou à treinador à Euronews.

Frequentar um onsen é chegar a um refúgio. É fugir do stress das grandes cidades japonesas. Um dos países mais desenvolvidos do mundo, o Japão não esquece as tradições que forjam a cultura rica do arquipélago. Algo que Sigurdsson diz admirar, especialmente em Kyoto:

“Todos os templos são incríveis. É impressionante como são bem mantidos há milhares de anos. E as senhoras que usam aqueles kimonos… Visitar Kyoto é como voltar a um mundo antigo. Onde quer que olhemos, vemos uma cena de um postal.”

Existem mais de mil templos budistas e jardins e palácios xintoístas em Kyoto. O local torna-se ainda mais idílico com as cerejeiras em flor.

Por isso mesmo, o hanami ou contemplar as flores é uma tradição em Kyoto. As pessoas juntam-se para tomar bento, cerveja e sake e celebrar a chegada da primavera.

Tóquio é também conhecida pela cozinha rica. A cidade é o berço do sushi que hoje conhecemos. No mercado do peixe Tsukiji, a preparação do sushi é uma obra de arte.

“Adoro todos os tipos de sushi e prefiro misturá-los”, explica o treinador.

“Os de que mais gosto são de atum e enguia. É genial, quando estamos sentados ao balcão e podemos ver o pessoal a trabalhar. É lindo. Para mim, são artistas.”

Este é o Japão de Dagur Sugirdsson. Cheio de Historia, cheio de energia e paisagens inesquecíveis.