A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

"Ainda há muitas opções em cima da mesa"

"Ainda há muitas opções em cima da mesa"
Direitos de autor
REUTERS
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Desde o ataque químico de Douma, na Síria, que Trump não dá descanso às ameaças.

"Os mísseis (...) irão chegar" foi um dos últimos avisos que o presidente norte-americano fez à Rússia.

Donald Trump escreveu no Twitter: “A Rússia promete abater todos e quaisquer mísseis disparados para a Síria. Preparem-se Rússia, porque eles irão chegar, bonitos e novos e ‘inteligentes’!”.

Donald Trump

Minutos depois, o presidente norte-americano voltou a escrever na rede social:

"A nossa relação com a Rússia nunca esteve tão mal como agora, e isso incluí uma guerra fria. Não há razão para isto. A Rússia precisa que a ajudemos com a economia, algo que seria bem mais fácil de fazer, e precisamos que todas as nações trabalhem em conjunto. Parar a corrida às armas?", escreveu o presidente norte-americano, num tom que parece menos ameaçador.

Donald Trump

Ameaças através de Twitter não faltam mas, Sarah Sanders, porta-voz da Casa Branca, admitiu, numa conferência de imprensa, que "há muitas opções em cima da mesa" mas que "ainda não chegaram a uma decisão final.".

Apesar dos ataques vindos de todo o lado, o presidente Vladimir Putin, depois da cerimónia de entrega de credenciais aos embaixadores, desta quarta-feira, disse que espera que o "senso comum" seja soberano e que as "relações internacionais fiquem mais estaveis.".