Venezuela isolada na Cimeira das Américas

Venezuela isolada na Cimeira das Américas
De  Pedro Sacadura
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Presidente venezuelano diz que encontro foi "um fracasso total." Com os escândalos que afetaram políticos e empresas como pano de fundo, a VIII Cimeira das Américas decorreu em Lima com o tema "Governabilidade democrática frente à corrupção"

PUBLICIDADE

Sem Donald Trump nem Nicolás Maduro - embora por razões diferentes - a VIII Cimeira das Américas chegou ao fim, mas Venezuela esteve sempre presente e constou dos discursos com tom crítico dos líderes políticos reunidos em Lima.

Foram várias as vozes que apontaram baterias ao Presidente venezuelano e que disseram que não reconhecerão as eleições no país 20 de maio, nas quais Maduro parte à conquista da reeleição.

O primeiro-ministro canadiano, Justin Trudeau, denunciou a violação dos direitos humanos e juntou-se às manifestações contra o regime de Maduro.

"Apelamos aos nossos amigos e vizinhos na região que dizem ser amigos da Venezuela para refletir sobre o facto de que ser atualmente um verdadeiro amigo da Venezuela deve significar ser um amigo do povo venezuelano", sublinhou Justin Trudeau em conferência de imprensa.

O vice-presidente dos EUA, Mike Pence, substituiu Trump na cimeira. O chefe da diplomacia cubana, Bruno Rodríguez, lamentou a exclusão do Presidente venezuelano do encontro.

"Não é nada democrático atacar a Venezuela e mencionar o Presidente Nicolás Maduro quando foi excluído e não está presente para responder. Rejeito as referências insultuosas a Cuba e à Venezuela e a atitude humilhante para a América Latina e nações caribenhas que Mike Pence assumiu", disse Rodríguez.

Maduro não esteve na cimeira porque lhe foi retirado um convite feito anteriormente. O Presidente venezuelano disse que o encontro "foi um fracasso total" e que viu relatórios de discursos vazios de presidentes ajoelhados perante o imperialismo.

Os líderes presentes no encontro, que terminou este sábado, adotaram o "Compromisso de Lima." Exige às nações do continente uma maior cooperação a nível jurídico e institucional de forma a combater a corrupção.

Outras fontes • EFE, REUTERS

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Cimeira das Américas termina com pacto para conter migração ilegal

Nova caravana humana de migrantes chega ao estado mexicano de Chiapas

Venezuela aguarda eleições presidenciais