A força da oposição ainda nas ruas de Erevan

A força da oposição ainda nas ruas de Erevan
De  Antonio Oliveira E Silva com REUTERS
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Manifestantes querem legislativas antecipadas o mais depressa possível.

PUBLICIDADE

Em força nas ruas, a oposição arménia tomou de assalto a capital Erevan. Os manifestantes têm duas exigências.

A convocação de eleições legislativas anticipadas e a apresentação de Nikol Pashinyan como candidato do bloco ao escrutínio.

Pashinyan chegou a ser detido, o que longe de intimidar a população, foi motivo para o agravamento dos protestos.

Protestos que são dos mais intensos vividos na pequena república do caucaso numa década.

A Federação Russa possui uma base militar no país. Moscovo segue os acontecimentos com atenção na antiga república soviética.

Karen Karapetyan é o primeiro-ministro em funções. Diz que está pronto a decretar o estado de emergência, mas a pressão para convocar eleições antecipadas faz-se sentir.

Duas semanas de protestos e a demissão de Serzh Sarksyan não chegaram para acalmar os ânimos. Os manifestantes querem todo o Governo do Partido Republicano da Arménia, de direita, fora do poder.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Partido no poder recua na escolha de novo líder mas não cala protestos

Demissão de Serzh Sarkisian recebida com júbilo

Primeiro-ministro arménio demite-se