Última hora

Última hora

Líder da oposição apela à "desobediência civil"

Em leitura:

Líder da oposição apela à "desobediência civil"

Líder da oposição apela à "desobediência civil"
Tamanho do texto Aa Aa

Agrava-se a crise política e social na Arménia. Depois do Parlamento ter rejeitado a candidatura a primeiro-ministro do líder da oposição Nikol Pashinyan, que aspirava chefiar o governo até à realização de eleições legislativas antecipadas, Pashinyan apelou ao que chamou de "desobediência civil".

O antigo jornalista pediu à população que bloqueie estradas, comboios e aeroportos em sinal de protesto.

No Parlamento, Pashinyan recebeu apoio de todos os partidos da oposição com representação parlamentar, mas os 45 deputados não foram suficientes, já que a maioria tem 58 assentos.

Nikol Pashinyan, de 42 anos, era o único candidato na disputa após a oposição rejeitar qualquer possibilidade de votar a eleição de um representante do Partido Republicano.

A votação desta terça-feira ocorreu na sequência da demissão de Serge Sargsian a 23 de abril depois dos enormes protestos antigovernamentais em todo o país.

De acordo com a lei arménia, a Assembleia Nacional deve reunir dentro de uma semana para uma nova votação. Caso não haja uma conclusão, a câmara pode ser dissolvida até às novas eleições.