Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

#MeToo: Weinstein entrega-se hoje à Justiça

#MeToo: Weinstein entrega-se hoje à Justiça
Direitos de autor
REUTERS/Steve Crisp/Arquivo
Tamanho do texto Aa Aa

Sete meses depois de rebentar o escândalo de abusos sexuais que deu origem ao movimento #MeToo, Harvey Weinstein vai finalmente entregar-se à Justiça em Nova Iorque e deverá ser formalmente acusado.

A informação, avançada por vários meios de comunicação norte-americanos, não foi confirmada nem pela polícia, nem pela procuradoria de Manhattan. O jornal New York Times diz que o antigo produtor de cinema negociou um acordo para poder ser libertado mediante uma canção de um milhão de dólares, a entrega do passaporte e o uso de uma pulseira eletrónica.

Weinstein é representado por Ben Brafman, célebre advogado que obteve o abandono das acusações contra o ex-patrão do FMI Dominique Strauss-Kahn, em 2011.

Desde as primeiras revelações, no outono de 2017, mais de uma centena de mulheres, incluíndo atrizes como Angelina Jolie, Gwyneth Paltrow ou Rose McGowan apontaram o dedo a Weinstein, com acusações que vão do assédio sexual à violação.