Última hora

Última hora

Cimeira da Organização de Cooperação de Xangai com mensagem de unidade

Em leitura:

Cimeira da Organização de Cooperação de Xangai com mensagem de unidade

Cimeira da Organização de Cooperação de Xangai com mensagem de unidade
Tamanho do texto Aa Aa

Perante um G7 dividido, os Presidentes da China e da Rússia mostram-se alinhados e elogiam a expansão do bloco asiático.

A cimeira da Organização da Cooperação de Xangai (OCS), que decorreu na cidade portuária de Qingdao, chegou este domingo ao fim.

Xi Jinping, o chefe de estado chinês, saudou a entrada da Índia e do Paquistão, no ano passado, para o grupo fundado em 2001 e que inclui ainda a Rússia, o Cazaquistão, Uzbequistão, Quirguistão e Tajiquistão.

Dominado por Pequim e por Moscovo, o bloco, é visto como uma tentativa de fazer frente ao ocidente e o fórum tem vindo a ganhar uma agenda mais económica. Inicialmente o grupo foi concebido para a resolução de disputas fronteiriças, luta antiterrorismo e, de forma mais implícita, para contrariar a influência norte-americana na Ásia Central, na sequência da invasão do Afeganistão.

País observador da organização, na China, o Irão recebeu a garantia de apoio perante o cenário de isolamento por parte de Washington e de imposição de novas sanções por causa da questão nuclear.

Do encontro saiu uma declaração conjunta e vários acordos. Houve muito fogo-de-artifício e clima de otimismo que colocam ainda mais em evidência o ambiente tenso de outras cimeiras.