Última hora

Última hora

Trump assina ordem executiva que suspende separação de famílias indocumentadas

Trump assina ordem executiva que suspende separação de famílias indocumentadas
Tamanho do texto Aa Aa

Donald Trump, o presidente dos Estados Unidos, assinou uma Ordem Executiva que permite resolver temporalmente o problema das famílias de migrantes separadas dos filhos na fronteira com o México, depois de pressões vindas do seu próprio partido.

Não quero ver famílias separadas.

Donald Trump Presidente dos Estados Unidos

A medida, instituída no início deste ano, causou fortes críticas nos Estados Unidos e um pouco por todo o mundo.

"Não gostaria de ver famílias separadas," disse o presidente dos Estados Unidos depois de assinar o documento.

"Trata-se de manter as famílias juntas, ao mesmo tempo que mantemos uma lei forte," continuou. Mas o presidente dos Estados Unidos recordou também que a Ordem Executiva por ele assinada não significava o fim da política de Tolerância Zero relativamente à migração de indocumentados.

Os vídeos de crianças enjauladas e as reportagens com menores a chorar e a pedir para voltar junto dos pais causaram revolta em vários setores da sociedade norte-americana, desde empresários a líderes de diferentes congregações cristãs, passando por figuras públicas, atores, e apresentadores de programas de entretenimento.

Antes de conhecida a assinatura do documento, numa conversa com a imprensa na Casa Branca, Trump disse esperar que a medida, a concretizar-se, fosse ao encontro delegislação a ser provada pelo Congresso dos Estados Unidos.

A Câmara de Representantes (câmara baixa) vota, quinta-feira, dois projetos de lei relativos à suspensão da separação de famílias de indocumentados que tentam atravessar a fronteira com o México, assim como outros temas relativos à crise migratória.

A controlo da migração foi um dos pratos fortes da campanha de Donald Trump, do Partido Republicano (direita, liberais conservadores).

Agora, o presidente dos Estados Unidos disse que os Democratas são os responsáveis pelas separações de famílias na fronteira, ainda que os Republicanos detenham a maioria em ambas câmaras (Câmara de Representantes e Senado.)

De acordo com uma sondagem realizada pela Reuter/Ipsos, menos de um em cada três cidadãos dos Estados Unidos apoiava a política de separação dos menores indocumentados das suas famílias.